Recordando um pouco a história: Em 1907, Cônego Francisco Moureau – Padre Chico, da ordem premonstratense, da Abadia de Park, Louvânia e missionário no Brasil, foi a Berlaar – Bélgica, Casa Mãe das Irmãs do Sagrado Coração de Maria e pediu a Madre Geral, Irmã Benecdita, que enviassem Irmãs para trabalharem na Santa Casa de Misericórdia de Montes Claros – MG. Depois de alguma resistência, o Cardeal Mercier de Malinas deu consentimento e abençoou as quatro Irmãs escolhidas para o início da missão no Brasil. Foram elas: Irmã Odília, escolhida como Superiora; Irmã Otávia, escolhida como assistente, Irmã Remígia e Irmã Blandina.

Partiram do Porto de Antuérpia em 24 de abril do mesmo ano acompanhadas do Padre Chico, Padre Carlos Vincart e alguns redentoristas holandeses missionários. No dia 13 de maio de 1907, desembarcaram no Rio de Janeiro, os Cônegos Premonstratenses e as quatro irmãs belgas, de onde seguiram de trem para Corinto-MG. De lá para cá vieram de cavalos e burros. Chegaram, finalmente, em Montes Claros, no dia 14 de junho de 1907. Aqui, foram bem recebidas com banda de Música, casas enfeitadas e um grande cortejo.

O Sr. Cel Antônio dos Anjos cedeu sua casa, o povo emprestou os móveis e o vigário Padre Carlos Vincart doou uma mesa e seis cadeiras para o refeitório. O pedido foi para que trabalhassem na Santa Casa, mas o provedor não aceitou, alegando que a instituição era muito pobre e não tinha condições de recebê-las. O Vigário pediu que as Irmãs dessem aulas Irmã Otávia se encarregou das aulas de trabalhos manuais e Irmã Blandina das aulas de francês. A Irmã Odília que era enfermeira e Irmã Remígia voltaram em outubro daquele mesmo ano para a Bélgica em companhia do cônego Vincart. O bom Deus que é “máximo nas míninas coisas”, cuidou da sobrevivência das duas missionárias, que apesar das dificuldades e incertezas, continuavam animadas, contentes e entregues a vontade de Deus.

Em 1909 com a chegada das irmãs Berckmans e Blanche mudaram para uma casa maior onde puderam iniciar o curso Primário com duas aluna internas e dezoito externas. Em dezembro de 1911, chegaram Irmã Beata e Irmã Rufina para trabalharem na Santa Casa e Irmã Rodrigues na escola. E assim a Madre Geral foi enviando outras caravanas para ajudar na missão em Montes Claros.

Esta escola permaneceu até os fins de maio de 1918. Não se sabe bem a causa deste fechamento, talvez seja pela epidemia (gripe espanhola) que assolou o mundo inteiro após guerra de 1914-1918, que enlutou também centenas de famílias montesclarenses.

O Colégio Imaculada Conceição (CIC), em 07 de março de l927, reiniciou as suas atividades educativas, no mesmo local, onde ainda hoje se encontra, situado na Avenida Cel. Prates, 276 – Centro. Funcionou na bela residência do Coronel Francisco Ribeiro que fora cedida graciosamente á Congregação pela viúva, Dona Maria Luiza de Magalhães Ribeiro, por dois anos. Depois com muita luta, sacrifícios e dificuldades financeiras suas fundadoras Irmã Maria Canuta, Irmã Maria Inês e Irmã Maria Hipólita conseguiram comprar o imóvel e realizaram lentamente as adaptações necessárias.

Do distante 1927 muita coisa mudou…

Os princípios? Estes continuam os mesmos, cada vez mais fortes. O CIC é o moderno aliado ao tradicional: não se afasta de suas origens, mas avança com a modernidade. Quanta luta… quanta dificuldade… quanta barreira… quanta determinação…quantas realizações! Mas todos os obstáculos foram vencidos sob as bênçãos de Deus e do seu Sagrado Coração de Maria. O número de alunos crescia. Também novas irmãs, novas batalhadoras vinham para ajudar na missão.

O externato crescia a tal ponto, que em março de 1931, foi necessário comprar mais um espaço. Desta vez, foi um casa em frente o colégio, onde funcionou o antigo Curso Primário. Foi chamado carinhosamente de “coleginho” durante muitos anos, e hoje é a residência das Irmãs que trabalham na Santa Casa.

Em 1941, para satisfazer o desejo das alunas e de seus pais que desejavam um curso de Comércio, pois não queriam sujeitar-se a um curso misto, as Irmãs criaram o Curso Técnico Comercial que formou sua primeira turma em l946. Mais tarde veio também o Curso Científico. Em 1955, foi reaberto o Jardim de Infância “Paraíso das Crianças”, nos moldes da Bélgica, pelas Irmãs Guido e Juliana.

Grandes realizações iam acontecendo no colégio, sob as orientações sábias e seguras de Irmã Canuta e Irmã Bertha, grandes batalhadoras e verdadeiras educadoras de gerações de jovens mineiras que pelo Colégio passaram.

Com um espaço físico privilegiado e estrutura pedagógica de vanguarda, por aqui passaram e passam centenas de alunos dos Cursos Maternal I e II, Educação Infantil, Ensino Fundamental I e II , Ensino médio e outros cursos que já foram mantidos para atender o mercado de trabalho, como: Magistério e Estudos Adicionais.

Na década de 70, foram criados os cursos de Secretariado e Enfermagem. Tudo, produto do esforço das empreendedoras e dinâmicas Irmãs que já passaram ou vivem prestando a sua colaboração. Elas sempre procuram acompanhar a modernidade dos tempos.

Até o ano de 1972, existiu o regime de internado para crianças, adolescentes e jovens, além de oferecer a educação acadêmica, recebiam aulas de educação doméstica, trabalhos manuais, pintura, e coral.

Em 1984, foi construído o Centro Esportivo “Irmã Dulce”, com uma quadra coberta, outras abertas, piscina e em 2008 foi coberta uma 2ª quadra, tudo isso objetivando oferecer conforto e opções esportivas a seus educandos. No período de l968 a l984, funcionou o Curso Noturno filantrópico para domésticas. O CIC ofereceu oportunidade de estudo em regime de internato para jovens carentes até 2005.

Em 04 de Abril de 1992, com esforço e coragem das Irmãs, um novo prédio do foi inaugurado com arquitetura moderna, salas de aula amplas, laboratórios, biblioteca e o setor administrativo. O auditório e demais prédios passaram por uma reforma, modernizando o seu visual e oferecendo mais conforto aos educandos. Em 1996, foi instalado um moderno Laboratório de Informática, com acesso a internet e utilização do Portal Educacional.

No ano de 2004 a Congregação das Irmãs do Sagrado Coração de Maria criou a Rede Berlaar de Educação, para unificar todas as instituições de ensino. Nesse mesmo ano a Congregação acrescentou em todos os colégios a palavra Berlaar fazendo memória ao berço da Congregação. Passou a denominar Colégio Berlaar Imaculada Conceição (CBIC).

Em julho de 2007, foi instalado o 2º Laboratório de Informática para atender especificamente os alunos do Ensino fundamental I. Enfim, uma estrutura educativa centrada na pessoa do aluno, aliando conhecimento científico á formação humana e cristã. Enfim, é o CBIC evoluindo sem perder o seu referencial.

Modernizando sua estrutura cada vez mais em 2019 o CBIC implantou a disciplina Informática Computacional, que utiliza fundamentos da computação, robótica e habilidades maker, para acompanhar e adaptar às mudanças tecnológicas que transformam nosso dia a dia. onde o educando usa a tecnologia a seu favor,

Desde 1927 sua história desenha uma longa estrada, sob qual caminhamos – estrada de pessoas humanizadoras e humanizadas. Por elas percorrem Irmãs, educadores e educandos que constroem e construirão esta nossa Montes Claros e região. São muitas as realizações: eventos culturais, artísticos e esportivos, ações pastorais e sociais como: Encontros de Reflexão do Maternal I a 3º Ano do Ensino Médio, Catequese da Crisma, 1ª Eucaristia, Perseverança, Batismo, Grupo de jovens JUCIC (Jovens Unidos em Cristo e ao Imaculado Coração de Maria), Grupo PUCIC (Pais Unidos em Cristo e ao Imaculado Coração de Maria) entre outros.

Ao longo de todos estes anos, o CBIC vem servindo com eficiência e carinho, a toda região norte mineira, assim como as cidades do Sul da Bahia e Goiás. O CBIC é um marco de força, coragem e desenvolvimento da cidade de Montes Claros, amoldando a infância e a adolescência dentro dos princípios de Fé em Cristo e Fé no destino da Pátria. Há mais de 90 anos que a Avenida Coronel Prates vem sendo enfeitada de branco e azul pelas crianças, adolescentes e jovens que povoam o nosso Colégio.

Nesta oportunidade o Colégio Berlaar Imaculada Conceição contemplando esta longa estrada cravada no sertão norte mineiro com a alma genuflexa pede suas bênçãos e agradece!