O coração puríssimo de Maria se apresenta, assim, como aquele coração humano que soube corresponder plenamente à caridade de Cristo, sem imperfeição e nem rugas; um Coração cheio de graça e bondade, no qual Jesus pôde encontrar uma gratidão perfeita, uma submissão sublime, uma doce obediência e a mais consoladora compaixão por suas  dores e ultrajes.